TECNOLOGIA

Um barco que pode navegar sem qualquer tripulação humana

A agência militar dos EUA está a criar um barco que pode navegar sem qualquer tripulação humana. A primeira viagem deve acontecer já em abril.
darpa.jpg

O Anti-Submarine Warfare Continuous Trail Unmanned Vessel, ou ACTUV, é o navio autónomo que a DARPA está a preparar. No dia 7 de abril, este navio-drone de 40 metros vai iniciar a sua primeira viagem. O destaque vai para o fato de não ser necessária qualquer tripulação a bordo, noticia a Popular Science.

Este navio foi contruído para detetar rapidamente submarinos e servir de arma para os combater, em caso de guerra. Mas, além desta vertente, o ACTUV poderá ser usado para fornecimentos a outros navios, operações de logística ou até para ajudar a evitar minas subaquáticas, uma vez que não se perderão vidas humanas, caso algo aconteça.

Carro sem condutor da Google

A National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA), autoridade norte-americana que corresponde ao nosso Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), declarou que o computador responsável por controlar os chamados carros será considerado um condutor sob as leis federais daquele país.

A declaração surgiu em resposta a um pedido anterior da Google sobre a forma correta de homologar o carro sem condutor que tem vindo a desenvolver.

A gigante tecnológica submeteu a sua proposta de carro que “não precisa de ter um condutor humano” no passado mês de novembro.

Em resposta enviada há uns dias atrás, a NHTSA diz que vai “interpretar ‘condutor’” no contexto do veículo motorizado descrito pela Google como o sistema de autocondução que o controla, “e não como um dos ocupantes do veículo”.

A entidade reguladora concorda que o carro autónomo da Google “não tenha um ‘condutor’ no sentido tradicional em que os carros tiveram condutores durante os últimos mais de 100 anos”.

A resposta da NHTSA é uma excelente notícia não só para a Google, mas para todas as empresas que estão a investir na tecnologia, significando um grande passo para o reconhecimento legal que possibilita que os carros autónomos circulem na estrada.